Páginas

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Where my bloggers at?

Eu tô bem magoada com todas vocês, queridas blogueiras.

Falo no feminino porque a maioria das pessoas que possuem blogs que eu acompanho gostam de ser tratadas no feminino, mas se você não se encaixa nessa situação (sendo homem cis, trans ou não-binárie), faça o favor de fingir que o teu gênero/sexo está sendo considerado, assim como nós mulheres fazemos há decadas toda vez que nós viramos “blogueiros” quando tem apenas UM homem no grupo. Mas ok, a questão aqui não é o gênero.

A questão é: cadê vocês? Sério, vocês sumiram. Depois que surgiu essa histórinha de newsletter, vocês abandoram os blogs. Muitas prometeram não deixar o blog de lado, muitas disseram que ainda seriam encontradas pela blogosfera, mas vocês sumiram. Vocês simplesmente foram embora dizendo que iam ficar. E isso dói demais, gente. Isso não se faz.

Eu poderia muito bem seguir vocês, seguir essas tendências e não ficar me doendo aqui sozinha, nos antiquados blogs pessoais. Dizem que a mudança só dói pra quem resiste. E é verdade, posso dizer isso com toda a certeza do mundo agora (não por causa dessa história com os blogs, god no, minha vida tem mais acontecimentos que isso, mas vocês entenderam), mas às vezes tem coisas pelas quais valem a pena resistir. E a blogosfera, creio eu, é uma delas.

Fiz muitas amizades na blogosfera. Algumas que nunca conheci pessoalmente, outras que pretendo conhecer em breve, outras que já conheci e quero ver mais vezes. Fiz amizades passageiras, fiz amizades que acho que vão durar pra vida toda, mesmo que só por internet, mesmo que só através de um site com algumas postagens. E aí vocês me perguntam: isso não é possível com as newsletters também? Bem, é. Mas é bem mais limitado.

Pouco tempo atrás eu tive que escrever um artigo e o meu objeto de estudo foram os blogs pessoais. Mais precisamente, a publicidade em blogs pessoais, mas isso não vem ao caso agora. A questão é que, para isso, precisei pesquisar a história dos blogs, e com isso acabei descobrindo coisas que eu nem sabia. Vocês sabem como surgiu o primeiro blog ever? Foi assim: um cara chamado Justin Hall resolveu criar um site para guardar os links que ele gostava, chamado Links.net, em 1994. Sim, o blog dele é atualizado até hoje. 22 anos de blog, huh? Enfim! A partir daí outras páginas foram surgindo, nesse mesmo estilo, e os blogs pessoais foram ficando populares. O que tornava o blog tão legal era justamente a possibilidade de compartilhar links e histórias do nosso dia-a-dia sem mais nem menos, além de linkar os blogs das outras pessoas que gostamos!

E qual a diferença disso pra uma newsletter, Maria? Dá pra compartilhar links, e a gente pode recomendar outras newsletters de pessoas que gostamos, não? Sim! Sim, vocês podem! Mas existe uma limitação devastadora: para a pessoa ter acesso ao que você recomenda, ela tem que, primeiro, ser assinante da tua newsletter e, depois, assinar as newsletters de outras pessoas. O que é muito chato porque muitas vezes a gente nem sabe se a gente vai gostar do conteúdo que vamos receber.

Sabe quando você visita um blog e você pensa “poxa, não gostei tanto do conteúdo/da escrita/da pessoa”? Agora imagine você ter que dar seu e-mail pra receber uma coisa que pode te decepcionar, e você só vai saber disso quando a pessoa mandar uma newsletter (porque, que eu saiba, não dá pra acessar o arquivo e saber sobre o que a pessoa costuma falar), e ainda ter o trabalho de cancelar sua assinatura, ao invés de simplesmente fechar a janela. Chato, né? Trabalhoso, né? Não é mais fácil simplesmente continuar com um blog? Repitam comigo, em coro: sim, Maria, é!

E, pra terminar, deixa só eu destruir mais um argumento que vi muito por aí logo que começaram com essa história toda: a newsletter dá mais privacidade. Ah, é? E você deixa o endereço dela no teu blog para que quem visita possa assiná-la? Em que sentido, exatamente, isso te garante mais privacidade? Pois é. Não garante.

Sorry not sorry, mas eu acho que tá na hora da galera voltar a blogar. Eu admito, tô com saudade de vocês. Voltem. Vamos ser felizes juntas novamente.


Vou ficar esperando.

10 comentários

  1. Fiquei cerca de 1 mês fora dos blogs (preguiça pura, confesso) e quando voltei, tive o mesmo sentimento: cadê os blogs que estavam aqui? Algumas pessoas não posta mais ou menos desde que eu "sumi". Será que o bichinho da preguiça coletiva picou todo mundo? A vida que anda corrida? As newsletters estão concorrendo com os blogs? Enfim, são questões.
    E longe de mim querer ficar policiando os que os outros fazem ou deixam de fazer, mas como você disse: estou com saudades. Das pessoas. Dos textos. Da vida de gente que não conheço, mas que considero pacas.

    ResponderExcluir
  2. Confesso que não sei bem do que se tratam essas newsletter (elas substituem as postagens, como assim?), mas é fato que as pessoas andam postando menos. Acredito que não dá para culpar apenas uma coisa ou outra, devem ser vários fatores. Ainda assim, que chato, né?
    Mas suponho que não posso falar muito, já que gosto de tudo que é das antigas e do modo como as coisas eram feitas antigamente :/

    ResponderExcluir
  3. VEMK VAMO SE AMÁ <3 (E vamos nos ver mais vezes simsenhora!)

    ResponderExcluir
  4. MIGA, EU TÔ AQUI, NÃO ABANDONEI NADA, NÃO
    Aliás, prevejo que meu futuro não será diferente do do cara com 22 anos de blog: já tô chegando nos 10. o/

    Só não posto com mais frequência por motivos de: chego muito tarde em casa e durante o dia quando não estou estudando ou fazendo reportagens na rua, estou diante de um mac que é O HORROR em termos de escrita porque não possui acentos em seu teclado!!!!!!!!!!!!!!!!! Aí não rola. :x

    ~mas vamos continuar resistindo~

    ResponderExcluir
  5. Menina, eu, que cheguei nesse mundo recentemente, achei estranho porque tava tudo deserto e nem sabia da existência dessa newsletter (ainda não entendi muito bem do que se trata), mas agora tá tudo explicado! Realmente, muita gente que eu acompanhava simplesmente parou de postar e eu não sabia o motivo. Que triste, né? Espero que pelo menos voltem cedo, se forem voltar.
    ):

    ResponderExcluir
  6. Eu me senti obrigada a assinar algumas newsletters porque as donas dos blogs pararam de escrever. Mas quer saber? A maioria eu leio somente algumas partes, outras excluo sem ler nenhum parágrafo por causa da quantidade de coisa escrita e outras, quando consigo ter acesso ao arquivo, nem tenho vontade de assinar. Prefiro os blogs. Prefiro ver um pouquinho da personalidade da pessoa no layout. Prefiro os textos, mesmo que sejam publicados só uma vez por mês.

    ResponderExcluir
  7. É bem triste mesmo essa situação da blogosfera. Tenho visto blogueiras que eu tanto admirava simplesmente desistindo de postar e sabe, chega a dar aquela pontinha de dor no peito, aquele desânimo fraquinho que vai ganhando força. Aqui eu vivi tantas coisas e ainda pretendo viver, mas preferia estar ao lado das pessoas com quem comecei. Também não sou a maior fã das newsletters, por isso nem sou adepta, acho que desde que alguns blogueiros passaram a ser idolatrados se iniciou meio que uma corrida por popularidade e as pessoas se perderam em conteúdo. Vamos aguardar ansiosamente que o bom conteúdo volte.
    Conteúdo bom assim como o seu, estou apaixonada pelo blog, viu? Parabéns.

    Carinhosamente, Jheni. Quinze Outonos

    ResponderExcluir
  8. MIGA, EU TÔ AQUI, NÃO ABANDONEI NADA, NÃO [2]

    Voltei, até postei hoje, veja só! Tudo bem que foi outro 52 Weeks, mas já estou escrevendo outro post, devo publicar terça ou quarta. E no começo dessa onda de newsletters eu fiquei meio assim também pq pra mim não tinha muito sentido você escrever lá o que poderia simplesmente escrever no blog. Mas eu tenho gostado de recebê-las, no meio de tanto spam é bem legal ter algumas palavras carinhosas, umas ideias malucas com as quais se relacionar e afins.

    Beijo, beijo! <3

    ResponderExcluir
  9. Se procurar bem procuradinho ainda acha alguns blogs super legais e relativamente ativos, tipo o seu, procurei bem procuradinho e achei! Gostei daqui Maria e vou ficar <3

    http://amorticinio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olha, muitas pessoas que blogavam no tempo que eu blogava com muita frequência ou deixaram de blogar ou trocaram o blogger pelo instagram e optou por "manter contato" pelo face. Eu acho que não é a mesma coisa, sabe? Sinto falta do contato e tb dos inúmeros emails que costumava a trocar com outros bloggers e responder tb.
    Beijos!

    http://vivendolaforanoseua.blogspot.com/

    ResponderExcluir